Home Quem somos Eventos Cadastre-se Promoções Anuncie Fale conosco  
 
Pesquisa
Matérias
Serviços
Parceiros










Matérias
 
Empreendedorismo




Pequenos negócios precisam aproveitar os megaeventos que ocorrerão no País

Dilma Tavares

 

Rio de Janeiro - A partir de 2011 até 2016 o Brasil vai sediar pelo menos cinco mega eventos internacionais, principalmente esportivos, que mobilizarão multidões e grandes volumes de recursos. Só a Copa do Mundo de 2014 vai atrair cerca de 660 mil turistas estrangeiros, além dos locais, e injetar R$ 143,4 bilhões na economia brasileira, conforme pesquisa da Ernest & Young e Fundação Getúlio Vargas. E o os micro e pequenos empreendimentos,incluindo aquelas da economia solidária, precisam se preparar para aproveitar essas oportunidades.


 O alerta é do ex-diretor técnico e atual consultor do Sebrae, Luiz Carlos Barboza, especialista em desenvolvimento e em pequenos negócios. Barboza mediou e promoveu palestra no painel sobre Desenvolvimento integrado e a realização dos megaeventos esportivos, na quarta-feira (1º), dentro da programação da Expo Brasil Desenvolvimento Local, promovido no Rio de Janeiro com o apoio do Sebrae.

 

“A Copa de 2014 e as Olimpíadas 2016 podem tirar o Brasil da estagnação de cinco anos do fluxo de turistas estrangeiros para receber, dos atuais 5 milhões, até para 7,5 milhões de visitantes até 2014 e 9 milhões em 2018”, avaliou. Conforme Barboza, dos R$ 142,4 bilhões investidos, 20,8%, o equivalente a cerca de R$ 30 bilhões, serão em compras de produtos e serviços e uma parcela desses recursos certamente pode ser capturada pelos micro e pequenos negócios.

 

“Precisa-se de tudo ao mesmo tempo. O número de encomendas que teremos é impressionante e teme-se até a incapacidade de atendimento a toda essa demanda”, disse Barboza. Ele lembrou, por exemplo, que os recursos serão investidos em áreas que vão da indústria têxtil a móveis e madeira. Conforme as pesquisas apontam, os principais gastos dos turistas são com hotéis, seguidos de alimentação, compras, transporte, cultura e lazer - a maioria, áreas em que os micro e pequenos negócios atuam.

 

Conforme o consultor, a Copa de 2014 gera negócios potenciais para produtos e serviços provenientes de micro e pequenos empreendimentos de desenvolvimento territorial ou local de comunidades urbanas ou rurais, de empreendimentos da economia solidária, do comércio justo, da agricultura familiar, alimentos orgânicos ou agroecológicos, artesanato e souvenirs, entre outros, como confecções e acessórios e das manifestações culturais e artísticas.

 

“Não se pode passar a vergonha de o turista comprar aqui artesanato que vem da China”, incentivou, citando outros exemplos como na área de alimentação onde, entende, “estará melhor quem conseguir se diferenciar e a alimentação orgânica pode ser um diferencial”. Mas Barboza explicou que para aproveitar ainda mais essas oportunidades, além de preparados, os micro e pequenos negócios também precisam estar organizados.“Haverá oportunidades, mas o grau de aproveitamento depende do grau de organização desses negócios”, afirmou.

 

Uma das principais iniciativas, lembrou, é procurar orientação do Sebrae e outros órgãos que atuam na área. Ele lembrou que a instituição já vem desenvolvendo o Projeto Sebrae na Copa 2014, destinado a preparar as micro e pequenas empresas para aproveitar as oportunidades geradas por pelos grandes eventos esportivos. O trabalho envolve capacitação, sistema de informação sobre essas oportunidades e estreitamento de parcerias comerciais entre fornecedores e compradores, inclusive por meio virtual. “As empresas que passarem por essa experiência ganharão a Copa”, afirmou.

 

Gol da paixão
Segundo o gerente de Desenvolvimento Territorial do Sebrae, Juarez de Paula, as oportunidades geradas com a Copa 2014 extrapolam para todos os estados. “O Brasil é o País do futebol e a Copa não acontece todos os dias na nossa casa. Então, todos se mobilizarão e todos vão querer participar”, lembrou, alertando que haverá oportunidades para negócios mesmo nas cidades que não sediarão os jogos. “As oportunidades estão em todo lugar e se soubermos lidar bem com essa paixão nacional, todos sairão ganhando”, afirmou.

 

Fonte: Agencia Sebrae


 
Versão para impressão Enviar para um amigo

« voltar
Assinantes
Usuário
Senha
 




 
 
Política de Privacidade   |   Termos de uso
Copyright © 2009 - Administro - O Portal do Administrador de Sucesso. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução, publicação, distribuição, cópia, ou qualquer outra forma de utilização do conteúdo sem autorização por escrito dos editores.